Buenos Aires: pegadinhas da cidade e algumas dicas do leitor

O Artur Lemos acabou de chegar de Buenos Aires e nos conta algumas pegadinhas no sentido de malandragem dos argentinos com relação aos brasileiros para ganhar mais, dá algumas  dicas e conta um pouco como foi a viagem!

Galerias Pacífico

Fiz uma rápida viagem à  Buenos Aires. Lá encontrei tantos brasileiros quanto aqui, é brasileiro para todos os lados. E alguns argentinos fazendo a festa com a invasão brasileira e os nossos reais.

O cambio nos é favorável: 1 peso = 0,50 reais, porém, que ninguém se iluda, a vida por lá anda pelos olhos da cara. Tudo muito caro. Cheguei a pagar por uma garrafa de agua mineral das pequenas, o equivalente a R$ 9,00. É claro que depende do lugar onde você vai comprar.

Mas me chamou atenção, a “malandragem” de alguns argentinos com relação a nós. Exemplifico:

  1. Em um restaurante, com um bife de chorizo maravilhoso, pedi uma garrafa pequena de vinho para acompanhar a carne. No cardápio, constava 40 pesos. Pedido feito, volta o garçom, dizendo que o vinho escolhido estava em falta e me apresenta um outro. Questionado sobre o preço, ouvi que era a “a misma cosa”, um pouco mais caro. Aceitei em confiança. No final, a conta me trouxe a surpresa: o preço do vinho era mais que o dobro do escolhido por mim a princípio.
  2. O taxi que me levou de Ezeiza ao hotel no centro, custou 270 pesos, apesar dos sites da internet afirmarem que o custo era variável entre 160 e 180 pesos. Na volta, ajustei no hotel outro taxi para o trajeto inverso, por 200 pesos. No aeroporto, quando fui pagar ao motorista, um senhor de cabelos brancos, me foi cobrada a quantia de 240 pesos. Ou seja, não se pode confiar nos pactos eventualmente feitos.

Mas Buenos Aires continua uma cidade fantástica, apesar desses infortúnios. Nessa época do ano, fim de primavera, as árvores ainda estão floridas e a temperatura muito agradável na maior parte do tempo. Cidade onde se come muito bem e se pode comprar roupas de ótima qualidade, apesar dos preços inflacionados.

Artur Lemos em Buenos Aires

O shopping de Recoleta (que me lembrou o nosso Fashion Mall no Rio), é um local onde se encontram produtos de muita qualidade. Também o tradicional Galerias Pacifico, localizado na Calle Florida, oferece artigos de primeira qualidade para quem está disposto a gastar os seus reais.

A cotação do peso em relação ao dólar no Free Shop de Buenos Aires, estava a U$ 1,00 = $ 4,83 pesos.

Um aviso: jamais façam cambio com aqueles que te oferecem o tempo na Calle Florida, porque além da cotação ser desfavorável, corre-se o risco de receber pesos falsos. Cambio só no Banco de la Nacion Argentina, agencia central, perto da Casa Rosada.

Alfajores são os Havannas e ponto final.

Bife de Chorizo, recomendo o do El Establo, na Rua Paraguay 489, é maravilhoso. Apenas cuidado com os garçons. Se estiver na Recoleta, pode ir sem susto no Montana Ranch, Calle Roberto M. Ortiz, 1.813.

Os bons shows de Tango (imperdíveis para quem não conhece), estão na faixa de 400 pesos. O Teatro Colón, o mais famoso e tradicional teatro de ópera da America Latina, após longa reforma, iria reabrir ontem, dia 27 com uma montagem inédita do Anel dos Nibelungos de Wagner. Se por la ainda estivesse, seria programa certo.
Enfim, Buenos Aires continua sendo um lugar charmoso e agradável, além de ser perto, onde se pode desfrutar bons momentos.Vale a pena ir!

 

 

Você não está autorizado a visualizar esta parte
O campo App IDotherwise your plugin won't work.
Últimos comentários
  1. marcia
  2. João Augusto
  3. Camilla Ribeiro
  4. Enrico
  5. Aline Aguillera
  6. Isa Lourena
  7. Roberto
  8. Daniele
  9. Melissa
  10. Leandro Felix
  11. Anna Rachel
    • Luciane Campos
  12. Carlos Eduardo Seabra
  13. Bruna
  14. Nelson
      • Nelson
      • Marise
      • Aracelli
    • David
    • Marise
  15. Andrea Bisaggio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *