Paris…linda, mas proibida para menores…

imgp0365k.jpg

Paris

Antes de viajar comprei um livro: Guia Paris com as crianças , de Anna Chaia e Adriana Moller. Isso porque conhecendo Paris e os parisienses já imaginava o aperto que ia passar. O livro é bom, apesar de não se aprofundar nas dicas de cada lugar.  Mas, a diferença entre bebê e criança aparece mais forte ainda quando falamos de  Paris. Logo não funcionou para mim.

Para começar  não sei porque cargas d’água não tem produto Nestlé em Paris, pensei que sendo uma empresa européia eu teria ao menos essa facilidade como tive em Barcelona e Lisboa. Aliás, é difícil achar um mercado em Paris, como achei nas outras cidades, o que torna a tarefa de conseguir algo para as crianças comerem mais difícil ainda.

Foi a única cidade da viagem que não fiquei em apart-hotel, preferi ficar perto da Torre Eiffel, em um bom hotel de uma rede e que eu teria com certeza um chuveiro decente, isso porque já tinha ficado em um hotel fofo de roteiro de charme em Saint Germain e o chuveiro era uma ducha pendurada que não podia ser ligada sem estar segurando com uma mão. Para quem quer ficar em apart-hotel, recomendo qualquer um da rede Citadines. Tem em quase todos os bairro da cidade e me parecem muito bons, apesar de caros.

Eurodisney

No primeiro dia fomos levar às meninas para a Eurodisney (vou fazer um post exclusivo). Eu já conhecia (em uma ida à Paris em plena greve cultural, você topa fazer tudo que não esperava fazer em Paris), e achei que podia ser legal para elas, até porque o resto dos programas que eu tinha planejado não eram bem infantis. E aí tive uma boa surpresa, o que na primeira vez que eu fui me chocou, não vi em nenhum momento no parque: pessoas fumando em todos os lugares. Já sabia que o fumo tinha diminuído em Paris, mas confesso que não acreditava. Em 2001 ao pedir uma mesa para não fumante, fizeram cara de surpresa e me colocaram ao lado do banheiro.. e essa impressão ruim que ficou na minha cabeça:  pessoas fumando em todos os cantos e até nas filas do parque. E aí tive aquela sensação que não tinha tido lá, e que temos na Califórnia ou em Orlando: Disney é Disney. E tudo é feito para agradar você , e quando digo tudo é tudo mesmo.

Pizza funciona um pouco na idade delas

Não se encontra comida para bebês no parque, mas mesmo que as crianças não comam pizza, macarrão, fica difícil elas negarem uma pizza com o formato da carinha do Mickey, ou então o penne a bolonhesa na embalagem da turma toda. Foi só falar que era o “papa do Mickey” que funcionou. 🙂
Vi apenas um trocador no parque todo, mas também não precisava de mais nenhum.. era fantástico, com direito a fraldas e todos os apetrechos para as mães desprevinidas. (nada de graça, claro!)

 

No mesmo espaço, mas separado por paredes, cadeiras de alimentação com o formato da cabeça do Mickey, microondas e tudo para dar a papinha dos bebês. Realmente muito bem feito. Lá que vi uma mãe francesa dando uma papinha pro bebê , reparei a marca e corri atrás de comprar no dia seguinte. Meninas gostaram.

 

Primeiros Socorros – preferia não ter conhecido

Acabei  conhecendo uma parte do parque que não gostaria de ter conhecido: Primeiros Socorros. Uma das minhas filhas caiu no labirinto e bateu com a cabeça no meio-fio. Não abriu , mas inchou muito na hora. Fomos super bem atendidos, e em inglês, deram um remédio tipo homeopatia de arnica para não ficar muito roxo, e como estávamos na Disney, para o momento ter um pouco de alegria deram para a minha filha um Atestado de Bravura e Coragem, lindo, e assinado pelo Mickey, Pateta, Pluto, enfim, todos da turma, e nominal a ela. Ela com um ano e sete meses não entendeu, mas com certeza daqui a alguns anos vai debochar da irmã que tem um atestado assinado por todos  e a irmã não tem. 😛

O dia seguinte sim, tomamos conhecimento que estávamos em Paris. Confesso que me assustei com a quantidade de scooters espalhadas pela cidade e com a falta de respeito delas com os pedestres. Mesmo com o carrinho de bebê eles vão acelerando para você atravessar mais rápido isso com o sinal aberto para os pedestres… Sentar para comer em uma Brasserie com criança é missão impossível, te tratam mal, e praticamente te convencem que não é bom comer ali. Em uma delas sequer me trataram.. fiquei em pé esperando que me levassem à mesa e ninguém foi nos atender.

A sensação que tenho é que não existe bebê por lá.. nem em galerias, em restaurantes, não se encontram trocadores. Descobri um, depois de perguntar mil vezes, em uma loja de fast food na Champs Elysees e fui algumas vezes em dias diferentes. E só.  Depois conversando com uma pessoa que tem contato com parisienses eu descobri que não existe esse hábito de trocar fraldas em trocadores, eles trocam no carrinho mesmo. Bom, vou deixar meus comentários a respeito da higiene para lá rs

Meus bebês na Torre Eiffel

Todos sabem que o Metrô de Paris é altamente funcional, porém sem carrinhos de bebê.. todas as conexões são com escadas, nem escada rolante tem, e a tarefa fica super cansativa com dois carrinhos. Pra compensar a falta de estrutura, quanto mais turístico o lugar, melhor pra levar as crianças, inclusive museu. Isso porque são tantos turistas , e todos falando ao mesmo tempo, que não é a voz de uma criança que vai atrapalhar o passeio dos outros, porque é essa a sensação que você tem em Paris: eles acham que criança faz barulho, incomoda, portanto é indesejável.

Na Torre Eiffel cuidado ao escolher o elevador para subir se estiver com o carrinho de bebê, isso porque apenas no elevador para deficientes físicos é permitido entrar com o carrinho aberto e o bebê nele, caso erre o  elevador, vai ter que tirar o bebê e ainda levar o carrinho desmontado na mão.

Os parques abertos são os melhores lugares para as crianças

A época do ano é importante pois fica muito difícil ir aos bonitos parques e jardins com as crianças com temperaturas baixas. E olha que fui na primavera, mas pegamos 6, 7 graus .. Não consegui deixá-las brincar por exemplo nos lindos jardins de tulleries..

Enfim, Paris é tudo de bom, mas com bebês  a coisa muda de figura.

Você não está autorizado a visualizar esta parte
O campo App IDotherwise your plugin won't work.
Últimos comentários
  1. Carol
  2. Ana Koga
  3. Elisa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *