Por que contratar seguro viagem?

Acidente que matou 3 brasileiras na Capadócia

Acidente que matou 3 brasileiras na Capadócia em 2013 Foto:AFP

Óbvio que ninguém quer pensar em situações ruins que podem acontecer em uma viagem, mas como diria a minha avó ‘seguro morreu de velho” e é preciso pensar em tudo, no lado bom, e no que pode acontecer de ruim. E aí que entra o seguro viagem.

Ele acaba sendo uma medida de prevenção financeira para um eventual acidente, extravio de bagagens, passando por contração de doença e em até  mesmo caso de morte. Tudo isso que se acontecer fora do país pode causar custos altíssimos e simplesmente um pé quebrado pode custar mais caro do que a própria viagem.

Aí você fala “sou cuidadosa, nada vai acontecer” . Só pra ter noção do que eu já vi de amigos: o pai de um deles morreu na Grécia, infartou, e foi uma fortuna para trazer o corpo pois não tinha seguro; família de amigos foi pra Cancun e o filho mais velho teve crise de bronquite grave  (primeira da vida dele) no primeiro dia, ficou internado os outros 5, a sorte é que eles tinham feito seguro; amiga quebrou o pé em Bariloche esquiando, e não foi à falência por ter seguro. E quem não lembra do acidente de balão na Turquia onde os seguros eram diferentes e não cobriam todas as despesas de uns? Porque ainda tem isso… saber que tipo de cobertura é preciso.

Enfim, é necessário e não custa caro! Sei disso bem porque já fui agente de viagem e vendia, os preços das empresas mais sérias são nivelados e o serviço idem. Nunca comprei para viagem nacional, apenas para internacional, e recomendo muito.  Fiz uma lista do que é importante saber antes de contratar o seguro:

Alguns países exigem  seguro viagem para turistas

Em função do Tratado de Schengen, que estabelece a obrigatoriedade de que os turistas que visitam alguns países da Europa comprovem possuir um seguro/assistência viagem com cobertura mínima de 30 mil euros para caso de doença ou acidente. Os países signatários do tratado são: Alemanha, Austria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Polônia, Portugal, Reino Unido, República Checa, Romênia e Suécia). Outro detalhe é que este tratado também estabelece que a empresa de assistência/seguro viagem tem que estar estabelecida em um dos países signatários.

 

Cuba também  exige o seguro viagem, sendo que é possível comprar no destino no próprio aeroporto. Na Austrália a exigência é feita aos estudantes de intercâmbio e com um seguro específico.

Diferença entre Seguro Viagem e Assistência Viagem

 

Tirando a parte de que seguro só pode ser comercializado por uma seguradora, a grande diferença entre os dois se refere à cobertura de procedimentos médicos, e por isso é preciso ficar atento. Quando se compra uma assistência, os serviços e tratamentos médicos serão dentro de uma rede credenciada, e nesse caso eu sugiro ver se no destino que você está indo existe uma boa oferta, tanto em qualidade como em quantidade. Se por acaso você se acidentar, é preciso ligar para a central de atendimento e consultar quais os hospitais conveniados. A vantagem da assistência, na minha opinião, é que o cliente não paga nada durante os procedimentos, basta apresentar o cartão da assistência.

Quando se compra o seguro, o cliente tem a opção de escolher a clínica que ele quiser, porém pagará o valor do tratamento no destino e depois solicitar o reembolso das despesas. A vantagem, na minha opinião do seguro é poder escolher um hospital considerado melhor, principalmente se for caso grave.

Tipos de cobertura

O seguro viagem tem que oferecer, obrigatoriamente, proteção para riscos de morte acidental e invalidez permanente total ou parcial por acidente. Normalmente a cobertura com despesas médicas e hospitalares fazem parte do plano básico, mas existem outras coberturas que podem ser incluídas como despessas odontológicas, diárias por atraso de vôo, perda ou roubo de bagagem e danos a malas, cancelamentos de viagem, assistência jurídica, passagem de ida e volta para um familiar, medicamentos, entre  outras. Claro que quanto mais coberturas incluir, mais caro fica. Mas tudo depende do viajante e do destino. Eu mesma acabei de comprar um cruzeiro pelo Caribe em setembro, temporada de furacão, e como é algo que não dá pra prever, contratei um seguro com essa cobertura específica. Isso se aplica também a quem tem alguma doença crônica, pois nesse caso os seguros não cobrem, a não ser que faça algo específico. Assim como viagens de aventuras, se for esquiar ou fazer algo radical é preciso fazer um seguro específico para esse tipo de atividade.

Outro detalhe importante e que pode ser solucionado com o corretor ou com o agente de viagem é o valor da cobertura, afinal ele tem que ser compatível com o país visitado. As agências têm uma tabela de valor de cobertura para os países mais visitados.

Seguro oferecido pelos Cartões de Crédito

É preciso ficar atento com esse tipo de seguro, pois não basta ter o cartão, é preciso comprar as passagens da viagem com ele. E é preciso verificar o valor de cobertura, pois pode ser de valor baixo ou insuficiente. Eu já viajei muito só com esse tipo de seguro, e hoje prefiro comprar por fora, para garantir que terei uma cobertura adequada, até porque viajo com as minhas filhas.

Em caso de uso de acidente ou qualquer uso do seguro

O contato com a seguradora/assistência deve ser feito o mais breve possível, através dos contatos fornecidos na aquisição. Por isso é bom que tenha os telefones deles e o número da apólice anotados e vários lugares. O ideal é fazer cópia da apólice e deixar com alguém aqui no Brasil.

Não esqueça de guardar TODOS os comprovantes de despesas médicas para pedir o reembolso. E em caso de bagagens e vôos, guarde tudo que puder.

Problemas com a seguradora/assistência

Infelizmente tudo é possível, inclusive dar problema com a seguradora/assistência. Caso isso aconteça basta ligar para a SUSEP (Superintendência de Seguros Privados) que é o órgão do governo responsável pelo controle e fiscalização do mercado de seguros no telefone 0800 0218484.

Escolhendo a empresa seguradora/assistência

Bom, eu já fiz com várias e não opto pela mais barata. É o tipo de coisa que não se brinca. Vejo muita reclamação e o que eu sugiro que se faça é pedir uma recomendação ao seu agente de viagem , caso você tenha, e dar uma olhada na reputação da empresa no Reclame Aqui.   O que eu evito sempre é comprar seguro que não seja de empresa do Brasil, pois se tivermos problemas fica muito mais difícil recorrer.

Deixo aqui o link para contratar o seguro on line, da Travel Ace, que já usei e sou hoje afiliada, portanto, contratando através do blog eu ganho uma comissão, comissão esta que se eu não ganhasse , o vendedor da agência ou da seguradora ganhariam, portanto o preço é o mesmo, e assim você ainda ajuda o blog.

Simulador

Seguro Viagem

 

Você não está autorizado a visualizar esta parte
O campo App IDotherwise your plugin won't work.
Últimos comentários
  1. Camila Ferreira
  2. Francine Agnoletto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *