Conhecendo a pé um pouco da história do Rio de Janeiro

Chega a ser engraçado.. viajo por vários lugares, pesquiso, estudo, procuro fazer todos os tours e imersão na história do lugar, mas só aos 3.8 aninhos eu fui fazer um tour nesse sentido na minha cidade. E não é que eu não conhecesse os lugares.. mas são normalmente lugares que passamos batido, às vezes todos os dias, mas a gente nem repara em nada, tudo por conta da correria do dia-a-dia.

Estátua de General Osório na Praça XV

Foi com a 4ª edição do Raid Sem Destino    que teve o apoio do Rio Walks que eu tive a oportunidade de vivenciar isso.Fizemos uma parte do tour denominado “Amantes da História”  pelo Rio Walks . Nosso ponto de encontro foi na Praça XV e lá mesmo tivemos “aulas” da história não só da Praça, como do Paço Imperial, sobre o porto, e a família real. O legal é que as informações dadas pelos guias passam não apenas pela história como pelas curiosidades daquela época, como qual foi a janela que D. Pedro I anunciou sua permanência no Brasil, no Dia do Fico e o significado das posições dos cavalos nas esculturas, que contam se o cavalheiro foi a uma guerra, se foi e voltou ou se foi e morreu por lá. Ia contar aqui mas vou deixar a curiosidade para que façam o tour 😉

Da Praça XV fomos no Arco dos Teles, e confesso que foi a primeira vez que entrei… E amei! Ao entrar nas ruas e vielas da Travessa do Comércio  parece que voltamos no tempo e estamos no Brasil colonial.

Painel na Travessa do Comércio

Passamos por  sobrados (que de acordo com a quantidade de pavimentos era possível saber quem eram os mais ricos),  calçamentos de pedra, antigas luminárias em arco, cantarias, gradis e calçadas estreitas.

Travessa do Comércio e suas luminárias antigas

Passamos também pela casa onde morou Carmem Miranda.  Hoje a Travessa do Comércio é conhecida como um pólo gastronômico, e vale a pena experimentar um dos restaurantes. Eu já fui na Brasserie Rosário e recomendo.

CCBB Exposição Corpos Presentes – Still Being

Passamos pela Casa de Cultura França Brasil e pelo CCBB, onde demos uma entrada rápida pra conferir a exposição Corpos Presentes  de Still Being. Quando íamos entrar na Candelária ela foi fechada.. 🙁

Mosteiro de São Bento

Nossa parada final foi no Mosteiro de São Bento , que foi fundado em 1590.   Quem vê o Mosteiro de fora não imagina a riqueza da Igreja, da preocupação dos detalhes. É realmente lindo! Pena que não deu, nem daria, para asssistirmos a missa em canto gregoriano, está na minha listinha do que ainda fazer por ali. Realmente vale a pena fazer esses tours, não são demorados e se aprende muito sobre a cidade, na verdade sobre a nossa história, sendo carioca ou não, porque é a história do Brasil.  E eu sempre bato na mesma tecla que os turistas precisam saber que o Rio não é só Copacabana-Cristo-Pão de Açúcar.  O Rio é muito mais que isso!

 

Mais fotos do passeio na fan page.

 

 

Você não está autorizado a visualizar esta parte
O campo App IDotherwise your plugin won't work.
Últimos comentários
  1. Aline Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *